Só louco pra ser professor II

Quem faz o que gosta não trabalha nunca.

Desde garoto nunca me destaquei nos esportes e nas variadas brincadeiras que te possibilitam ser uma criança bacana e reconhecida na galera.
Filho de uma professora sem tempo, sempre convivi no meio dos livros, apostilas, planejamentos, listas de presenças, provas, trabalhos escolares, e qualquer outro tipo de papelada que se encontra no âmbito escolar.
A primeira grande professora que tive foi a dona Janaina Cruz, vulgo minha mãe, que até minha 4ª série (hoje 5ºano) mostrou e fez com que aprender fosse algo mágico e satisfatório.
Continuar lendo

SÓ LOUCO PRA SER PROFESOR…

Dona Carminha, a senhora minha mãe, com uma calma que só o desespero traz, disse pausadamente: “Você é louco!?”

Certa feita… ao chegar do cursinho pré-vestibular em que eu estudava, trouxe uma notícia que abalou meu núcleo familiar.

“Mãe…”

“O que é, filho?”

“Eu…”

“Fala, Beto.”

“Eu vou prestar o vestibular pra LETRAS…”

Houve um silêncio terrível.

Dona Carminha, a senhora minha mãe, com uma calma que só o desespero traz, disse pausadamente: “Você é louco!?”. Continuar lendo