Contos da cidade cinza: Tanta estrela por aí

Até a hora que eu me injuriar e resolver pegar carona num disco voador, deixando só um bilhete, escrito à mão, dependurado na janela do quarto:

A humanidade é tão podre

A sociedade conserva valores tão egoístas

Que querer ajudar o outro se torna algo pessoal“.

 

Felipe Cruz

Uma resposta em “Contos da cidade cinza: Tanta estrela por aí

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s