Um conto sobre amizade!

CAM00950 - Copia

 

Prazer

Conheci o Espuleta na entrada do prédio… Aliás, A espuleta! Mais adiante vai entender. Se ela me visse falando assim de novo… Pois bem.

Ele, digo, Ela anunciou sua presença com um miado agudo e saltou na minha frente fazendo uma saudação e emitindo outro miado (era seu nome), onde começamos a conversar…

Toquei o interfone, dei bom dia ao porteiro e pedi que abrisse o portão, enquanto Espuleta resmungava que eu não ia logo…

Disse que se quisesse continuar aquela conversa teria que ser no meu ritmo.

O porteiro respondeu: “O quê?”.

– Abre pra mim por favor, o codificador não funciona.

Nesse ponto Espuleta reclamava mais ainda enquanto resmungava um tanto pra si, outro pra quem estava perto escutar, “como eh que irei abrir o portão? Se vira humano, só vem logo”.

– Espera to falando com o porteiro!

– Oi!?

– Não, nada! To brincando com o gato.

– Eu bem que ouvi um miado de gato. Soou o interfone.

– Sou uma gata.

– Ela eh uma Gata.

– Quê!?

– Ela pediu pra dizer.

Por fim os portões se abriram com um porteiro sorrindo me desejando bom dia enquanto balançava a cabeça de um lado pro outro. Não consegui interpretar essa ação dele. Continuar lendo