Contos da cidade cinza: Esquizofrenia da cidade grande

– Vamos nesse aqui mesmo.

– Ali pro fundo?

– É passa aí, passa aí. Pode ser.

– Daqui não dá mais.

Será que ele está se masturbando? Não pode ser.

Como ela, como ela parece? Acho que esta constrangida. Encostada na janela, recolhida com um olhar de olheiras lilases, mas olhos atentos, fixos num ponto no infinito.

– Mas então você foi no festival?

– Fui sim.

– Que você achou?

– Muito louco…

Espera, é nele que tenho que reparar. Desde que entrei me olhou fixamente, um olhar frio, sem alma, nervoso, até que por ali parei… O boné, esse boné, um ângulo bem escolhido, tem até a marca vermelha na testa de sangue prensado, que atesta o boné não sair do lugar, esconde seu olhar. Daí eu só consigo imaginar…

– Eu fui ver los madrugas, depois fiquei vendo o palco de arte circense. Aí dei um tempo de descanso pra mim até o show do Quase Kinem que foi do caralho. Em qual você colou?

– Acabei indo pro Freezer.

Ela está respirando mais rápido?

Sua mão, de unhas longas vermelhas, arranhando seu pescoço como se sentisse frio… Mas está frio.

Mas pode ser agonia, de ser observada… Ow caralho! É esse babaca que tenho que analisar.

– Mano, os shows foram bons, apesar de nos Bombeiros do Sol ter tido falhas no som.

– Acho que nem reparei.

– Pode crer, Os Casulos, pra variar, atrasaram. Mas disseram que dessa vez foi culpa do som.

– Uhumm…

Porque essa mão forte apoiando a mochila sobre as pernas e embaixo da mochila sua mão direita se encontra? Será frio? O braço dele está se mexendo? Só eu que vejo isso?

Falo alguma coisa? Olho pra você, mas você não me olha, me diz se precisa que eu faça alguma coisa!? Meu amigo não se ligou?

– O festival foi bem organizado, limpo, com a ideia de carro compartilhado pra ficar mais barato.

– Mas não podia entrar nem com água, achei um absurdo.

– É! Lá dentro os preços deveriam mesmo ser mais acessíveis.

– Nem comi! Mas apareceram uns vinhos.

Calma, estou ficando louco, tenho que parar com a bebida, ou beber menos…

Mas ela parece desconfortável, seus lábios finos e bem desenhados parecem se retorcer de repúdio. Esse braço mexe ou não mexe delicadamente? Tem um cuidado… Será que eu não o intimo mais?

Chega! Vou perguntar se ele esta se masturbando. Continuar lendo